terça-feira, 29 de setembro de 2009

Teatro Turim








De início foi cinema, que fez as delícias da infância de muitas das crianças de Benfica na década de 80...

Depois ficou largos anos ao abandono, apenas com algumas poucas lojas abertas...

No início deste ano, surgiu o anúncio da abertura de um novo espaço cultural e começaram as obras de re-adaptação.

Hoje, através do contributo que nos chegou por e-mail de uma das nossas leitoras, soubemos da existência do seu website.

Apesar do Teatro só abrir ao público em Janeiro de 2010, podemos já acompanhar online algumas das actividades de formação que serão ministradas a partir de Outubro no novo espaço cultural de Benfica - Teatro Turim (entre as quais destacamos o Workshop do Projecto Filosofia para Crianças, da nossa amiga Joana Sousa).




segunda-feira, 21 de setembro de 2009

2ª e 3ª Feiras de Artesanato da Escola Pedro de Santarém




No seguimento da 1ª Feira de Artesanato da Escola Pedro de Santarém, realizada no passado mês de Maio, a Associação de Pais da E.B.1 Padre Álvaro Proença vai organizar dois novos eventos similares:


II e III Feiras de Artesanato da Escola Pedro de Santarém
dias 27 de Setembro e 11 de Outubro (Domingo)
das 10h às 17h
No recinto da Escola Básica 2.3 de Pedro de Santarém



Os objectivos destas duas Feiras são o de angariar fundos que, juntamente com as quotas pagas anualmente pelos membros da Associação de Pais, permitam dinamizar actividades em prol dos alunos.





Como nos explicou Aldina Mendes, da Associação de Pais da E.B.1 Padre Álvaro Proença, com vista a alcançar estes objectivos, a Associação irá ainda vender rifas para um cabaz de Natal (durante o mês de Novembro) e fazer um arraial popular no final do ano.

Os proventos destas actividades vão destinar-se no seu conjunto a:

- Comprar uma prendinha de Natal para todos os meninos da escola (do primeiro ao quarto ano, à volta de 120 meninos);
- Ajudar nos custos da viagem de fim de ano (no ano passado os meninos foram à Tapada de Mafra);
- Comprar uma prenda de fim de ano para os alunos finalistas do 4º ano (no ano passado foi comprado um dicionário para cada aluno).

À partida, como salienta Aldina Mendes, estes podem parecer "objectivos muito modestos mas fazem toda a diferença para muitas destas crianças!"

Por outro lado, associada a estas iniciativas, a Associação de Pais tem um outro objectivo (de carácter não financeiro) que, a médio prazo, esperam que venha a fazer muita diferença: - estas iniciativas pretendem trazer à escola os pais; fazê-los partilhar o espaço, conhecer os professores, conhecer os alunos, conhecer outros pais, dar um rosto à escola.

Como nos explica Aldina Mendes, "A nossa convicção é que se os pais conhecerem a escola, se esta deixar de ser uma entidade anónima, para passar a ser um espaço amigável e conhecido, os pais passarão a ser mais interventivos, passarão eles próprios a ser mais interessados no progresso escolar dos seus educandos e estarão mais atentos à vida escolar, acreditamos que essa interacção com a vida escolar se vai traduzir num maior empenhamento e interesse dos alunos. Este é o nosso maior objectivo, levar os pais a perceber que escola e família têm que estar unidas para conseguir levar a bom termo a educação dos nossos filhos, não podemos estar de costas voltadas e culparmo-nos mutuamente quando as coisas não correm bem."




O "Retalhos de Bem-Fica" associa-se uma vez mais a esta excelente iniciativa, promovendo a sua divulgação.

Convidamos, assim, todos os nossos leitores e amigos a visitarem estas Feiras (aproveitando, em particular, o facto de nesses dias se realizarem respectivamente as eleições legislativas e autárquicas).



sexta-feira, 18 de setembro de 2009

Largo Ernesto da Silva, Nº 6





"Largo Ernesto da Silva, nº 6" (1970),
Arnaldo Madureira, in Arquivo Municipal de Lisboa




O Largo Ernesto da Silva, escondido por detrás do rebuliço da Estrada de Benfica, é um pequeno nicho que nos relembra tempos antigos da freguesia de Benfica.

Neste largo, as casas de traça antiga da freguesia têm vindo a ser exemplarmente preservadas, quase nos fazendo entoar a frase célebre do blog Lisboa S.O.S.: - "É que podia estar tudo assim!"





No número 6 do Largo Ernesto da Silva, durante anos votado ao abandono, as obras de recuperação começaram já há largos meses.



"Largo Ernesto da Silva, nº 6" (1970),
Arnaldo Madureira, in Arquivo Municipal de Lisboa





Desde então, os progressos têm vindo a ser significativos!...

E, apesar de se notarem algumas diferenças entre o Passado e o Presente (pelo menos, "nasceu" mais uma janela no sótão), a verdade é que o resultado é bastante satisfatório, particularmente, no que diz respeito à preservação da fachada de azulejos.








domingo, 13 de setembro de 2009

A "Nova" Quinta da Granja







A notícia já corria há algum tempo, mas ainda eram muitos os habitantes que duvidavam da mesma!...







Fotografias de Tiago Carvalho



Afinal, as obras na Quinta da Granja começaram mesmo (os primeiros tapumes apareceram logo depois da repavimentação da estrada na Av. do Colégio Militar e, desde então, o processo tem sido célere), para dar origem ao Parque Urbano da Quinta da Granja.





Fotografias disponíveis em
Câmara Municipal de Lisboa



Nos terrenos da Quinta da Granja de Baixo, propriedade municipal, vai nascer, até ao final de 2009, um Parque Urbano destinado ao lazer e às práticas de ar livre, dotado de uma ampla área verde e mobiliário urbano adequado. Deste Parque partirá um corredor pedo-velocipédico, que atravessará uma zona de hortas no fundo do vale (que serão mantidas e requalificadas), permitindo a peões e ciclistas a ligação a outros espaços verdes do Parque Periférico, nas zonas de Carnide e do Lumiar.

Como em tudo na vida, já existem alguns moradores descontentes com o facto de os montes que ali "nasceram" (ver fotos nº 5 e 6) irem permanecer mesmo assim (altos e junto aos prédios), invocando que quem estiver em cima deles conseguirá ver tudo para dentro das suas casas (no 1º andar).
Mas, sinceramente, perante a hipótese de ter ali mesmo à porta de casa um espaço verde, há coisas às quais nem se devia ligar (só mesmo nós, portuguesinhos, nos lembramos de ir espreitar para as janelas dos outros, quando na Holanda e noutros países europeus nem sequer usam cortinas e é ver o tamanho das suas amplas janelas)!

De saudar, também, a iniciativa que, contra ventos e marés, continua a ser mantida na Quinta da Granja de Cima pela família Canas da Silva.






sexta-feira, 11 de setembro de 2009

"CALOR" - O Fim (2)









Após a sua anunciada morte e o trágico fim, será que ficou melhor assim, votada ao abandono, parcialmente vedada e amontoando lixo a cada dia que passa?







sexta-feira, 4 de setembro de 2009

Palácio "Beau Séjour"










A Quinta do Beau-Séjour ou Quinta das Campainhas é uma propriedade na freguesia de São Domingos de Benfica em Lisboa, onde está edificado o Palácio Beau-Séjour.

Em 1849, a futura Viscondessa da Regaleira, adquiriu a quinta das Loureiras para ai construir uma casa segundo os modelos românticos ingleses, assim como um exótico jardim romântico - o Beau Séjour.

Dez anos mais tarde, em 1859, a sua sobrinha e herdeira, a viscondessa, vendeu a quinta ao seu amigo de vários anos, o Barão da Glória, que fizera fortuna no Rio de Janeiro e regressara ao seu país natal, Portugal. Este empreendeu várias obras de embelezamento na quinta e, principalmente, nos famosos e elegantes jardins, tendo revestito as fachadas do edifício a azulejo de estampilha, aumentado o lago que emblezava o jardim e, também, espalhado esculturas pelos pátios.

Quando este faleceu em 1876, os seus sobrinhos, José Leite Guimarães e Maria da Glória Leite, começaram uma campanha de obras para enriquecimento artístico, tanto na casa como no jardim: destacando-se o trabalho de Columbano, irmãos Bordalo Pinheiro, entre outros.

A Quinta das Campainhas, como é apelidada popularmente, foi legada à família Dias de Almeida, tendo permanecido nesta família até ao início dos anos 70, quando foi vendida a uma congregação de Irmãos Maristas.
E nos anos 80, foi adquirida pela Câmara Municipal de Lisboa, que aí instala o Gabinete de Estudos Olissiponenses, em 1992.

Em 1992, os jardins foram recuperados segundo a traça original neoclássica, pela arquitecta Maria Luiza Ferraz de Oliveira, constituindo um belo exemplar de um jardim romântico com todo o ambiente exótico que o caracteriza. O jardim é marcado pela presença de tanques, ilhotas, lagos, coretos e caramanchões, conseguindo grandes jogos de luz/sombra entre as clareiras e a densa vegetação.

O palácio está aberto ao público, juntamente com os seus famosos jardins, na cidade de Lisboa.





quarta-feira, 2 de setembro de 2009

As (novas) Hortas de Benfica




À semelhança doutros tempos, a ruralidade de Benfica desponta ainda em algumas "ilhas verdes", escondidas pelos meandros da freguesia...




Fotografia de António Pedro Ferreira


"Há 25 anos que Fernando Mendes, agente da PSP, tem uma horta a dois passos do Colombo, com vista para o Estádio da Luz". (*)




Fotografia de António Pedro Ferreira


"Estrada de Benfica. Há quase 30 anos que António Barroqueiro e outros seis hortelãos amanham uma ilha de verde encaixada entre duas fileiras de prédios (...) meio hectare de terreno, onde há de tudo, como no campo - incluindo convívio." (*)





Um excelente artigo de Katya Delimbeuf, publicado na Revista "Única", a ler na íntegra aqui.






(*) Texto de Katya Delimbeuf