domingo, 13 de setembro de 2009

A "Nova" Quinta da Granja







A notícia já corria há algum tempo, mas ainda eram muitos os habitantes que duvidavam da mesma!...







Fotografias de Tiago Carvalho



Afinal, as obras na Quinta da Granja começaram mesmo (os primeiros tapumes apareceram logo depois da repavimentação da estrada na Av. do Colégio Militar e, desde então, o processo tem sido célere), para dar origem ao Parque Urbano da Quinta da Granja.





Fotografias disponíveis em
Câmara Municipal de Lisboa



Nos terrenos da Quinta da Granja de Baixo, propriedade municipal, vai nascer, até ao final de 2009, um Parque Urbano destinado ao lazer e às práticas de ar livre, dotado de uma ampla área verde e mobiliário urbano adequado. Deste Parque partirá um corredor pedo-velocipédico, que atravessará uma zona de hortas no fundo do vale (que serão mantidas e requalificadas), permitindo a peões e ciclistas a ligação a outros espaços verdes do Parque Periférico, nas zonas de Carnide e do Lumiar.

Como em tudo na vida, já existem alguns moradores descontentes com o facto de os montes que ali "nasceram" (ver fotos nº 5 e 6) irem permanecer mesmo assim (altos e junto aos prédios), invocando que quem estiver em cima deles conseguirá ver tudo para dentro das suas casas (no 1º andar).
Mas, sinceramente, perante a hipótese de ter ali mesmo à porta de casa um espaço verde, há coisas às quais nem se devia ligar (só mesmo nós, portuguesinhos, nos lembramos de ir espreitar para as janelas dos outros, quando na Holanda e noutros países europeus nem sequer usam cortinas e é ver o tamanho das suas amplas janelas)!

De saudar, também, a iniciativa que, contra ventos e marés, continua a ser mantida na Quinta da Granja de Cima pela família Canas da Silva.






2 comentários:

catgcoelho disse...

Vivi em Benfica durante 25 anos, toda a minha infância, juventude e início da vida adulta. Recordo os passeios até casa dos amigos na Quinta da luz, quando tínhamos de passar pelo imenso buraco que mais tarde viria a ser o Colombo...algo que actualmente parece surreal.

No entanto, relativamente à Quinta da Granja sempre ouvi dizer que a pressão urbanística nunca ali tinha chegado pelo facto de no seu subsolo existir uma estação arqueológica, creio que de época romana, para mais classificada.

Não sei qual a veracidade desta informação, mas a ser correcta só espero que os trabalhos agora em curso - que certamente dotarão aquela área de uma zona de lazer muito aprazível, requalificando a selva de betão já existente - tenham sido acompanhados pela intervenção arqueológgica necessária e prevista na legislação em vigor.

Aproveito para dar os meus mais sinceros parabéns para o seu blogue, que já me habituei a visitar com regularidade.

Até breve.

Alexa disse...

Catgcoelho: muito obrigada pelo seu comentário e, sobretudo, pela informação relativa à estação arqueológica no subsolo da Quinta da Granja (a qual desconhecia, mas me parece bastante plausível, dadas as informações existentes sobre os primórdios daquela localidade).

Esperemos, assim, que, de facto, os presentes trabalhos estejam a ser efectuados de modo a não danificarem os vestígios aí existentes.

Muito obrigada também pela sua presença regular neste espaço na internet (qualquer dica ou informação adicional que queira enviar sobre a nossa freguesia, será muito bem vinda - palavraseimagens@gmail.com).

Um abraço