domingo, 15 de fevereiro de 2009

Quinta da Granja




02/01/09









Circundada por prédios altaneiros, um terminal rodoviário, um centro comercial e um enorme hospital, ali bem perto da 2ª Circular, ergue-se a Quinta da Granja.

Alheia ao tempo que passa e aos avanços da modernidade, naquele espaço apenas impera ainda a vontade da natureza... e as lides rurais associadas a cada uma das estações do ano.

Antigamente, quando por ali passava todas as manhãs, a caminho do emprego, ficava largos momentos embevecida a olhar para aquele espaço natural imenso dentro da cidade, que o Homem ainda não conseguira usurpar.

Nunca ali vislumbrei vivalma, a não ser os parcos hortelões que por ali bem perto ainda cultivavam a sua subsistência em pequenas hortas urbanas.

Da Quinta da Granja de Baixo soube mais tarde que permanecia inabitada, em ruínas e votada ao abandono, como a grande maioria dos palácios e casas senhoriais de Benfica.
Mas e aquela outra casa branca, que se podia ver ao longe, quando por ali passávamos a pé? Será que ainda ali habitaria alguém?
Às vezes, dava-me vontade de lá ir espreitar.

Na Primavera, os campos enchiam-se de um verde frondoso, ao passo que a meio caminho da chegada do Verão, alguém areara todo aquele imenso terreno... vendo-se pequenos montes de erva apodrecida, por aqui e por ali.

Rezam as memórias dos mais idosos de Benfica (pelo menos de 2 senhores que uma vez escutei no autocarro), que os diversos herdeiros daquela Quinta não conseguem chegar a consenso... e daí a mesma ainda não ter sido vendida ao desbarato para gáudio de alguns promotores imobiliários.

Em ano de eleições camarárias, corre, por outro lado, a notícia que a Quinta da Granja vai dar lugar a um imenso Parque Urbano.
A ver vamos!...









3 comentários:

Rui Sousa disse...

Olá.

Recentemente houve uma visita organizada pela CML à Quinta Granja.

A de baixo, em ruínas, é propriedade da CML.

A outra casa é habitada sim, pelos herdeiros da família que a comprou. O anfitrião da visita foi um senhor muito simpático, que nos contou a história da Quinta, um pequeno museu com peças agrícolas e um celeiro vários carros de animais.

Talvez a CML repita a visita, mantenha-se atenta ao site.


Rui Sousa

Alexa disse...

Boa noite e bem vindo Rui!

Que pena não ter sabido dessa visita. Deve ter sido extraordinária, não?

E esse senhor simpático seria o Engº. Canas?

Um abraço

Anónimo disse...

Olá.

A visita foi bem engraçada, especialmente para mim que morei aí ao lado durante quase 30 anos.

O senhor simpático era o Engº. Canas sim, era para escrever aqui o nome mas não me lembrava.


Rui Sousa