domingo, 15 de fevereiro de 2009

A última casa apalaçada



25/05/08





... da Avenida Gomes Pereira.





4 comentários:

Telma disse...

Segundo escreve o António Lobo Antunes, nas usas crónicas, esta era a sua escola primária, onde leccionava o MEstre André (salvo erro)!
Aliás, aproveito para referir que muitas coisas podem ser encontradas apropósito de Nefica nestas suas crónicas, pois aqui passou toda a sua infância e ainda tem, julgo, a sua casa de família, junto à igreja (Beco do Vintém das Escolas).

Alexa disse...

Telma: muito obrigada pela sua visita!

Sim, de facto, o Lobo Antunes tem muitas memórias de Benfica escritas nas suas crónicas (até já publicámos uma delas por aqui -
http://retalhosdebemfica.blogspot.com/2009/02/elogio-do-suburbio.html); aliás, como tantas outras memórias de gente de Benfica, que nos encontramos actualmente a recolher e podem ser consultadas em http://gentedebenfica.blogspot.com

A casa da família Lobo Antunes ainda por lá existe, entre a Travessa do Vintém das Escolas e a Rua dos Arneiros. A grande quinta da família é que já não existe, foi substituída pelo Calçado Guimarães e por um banco.

Quanto a esta casa, desconhecia que tenha sido a escola do Lobo Antunes...
Muito obrigada!

Alexa disse...

Telma: ao reler ontem o prileiro "Livro de Crónicas" do Lobo Antunes, em particular o texto intitulado "Recordações da Casa Amarela", surgiram-me algumas dúvidas que esta casa fosse, de facto, a escola primária do Sr. André, que o escritor frequentou.
A menos que lhe tenham mudado a cor, ao longo dos tempos...
Um abraço

Anónimo disse...

Não,não é a vivenda do nefasto professor André, que foi meu professor desde a primeira à quarta classe, vivenda essa que também frequentei como aluno dele nos preparatórios para o ensino técnico na antiga Escola Pedro de Santarém, frente ao Jardim zoológico. A vivenda do professor André situava-se de facto na Av. Gomes Pereira mas no local frente à Junta de freguesia, onde hoje existe uma farmácia, mais metro menos metro,e era ao lado do refeitório dos trabalahdores da Fábrica Simões, frente à fábrica, onde junto a um pequeno jardim murado,existia a creche para os filhos dos empregados da fábrica. O prédio da farmácia era o local da vivenda do professor André, famoso por sovar os seus alunos, crianças indefesas entre os quais me contei. Sei que morreu.Não, não vou desejar paz à sua alma, não vou!!!!!!