sábado, 21 de fevereiro de 2009

O Mercado de Benfica




(por Alexandra Carvalho)






Ambas as fotos: "Mercado de Levante - Av. Grão Vasco" (1965)
Artur Goulart,
in Arquivo Municipal de Lisboa




Antigamente, o mercado de Benfica tinha lugar na Av. Grão Vasco, perto deste edifício. E tinha o nome de "Mercado do Levante".




Fotografia de Alexandra Carvalho (2009)


Hoje em dia, de 3ª feira a sábado de manhã, os caminhos não vão dar todos a Roma, mas sim ao Mercado de Benfica, situado na Rua João Frederico Ludovice, naquela que outrora foi a Quinta da Casquilha.

Nos seus primórdios, o local onde viria a ser construído este mercado era composto por 12 casas térreas pertença da Câmara Municipal; as quais conviviam, num misto de ruralidade ancestral, com uma vacaria pertença da Quinta da Casquilha.



"Maqueta do Mercado de Benfica" (1969)Armando Serôdio, in Arquivo Municipal de Lisboa

Fotografia de Alexandra Carvalho (2009)


"Visita do Presidente da Câmara Municipal de Lisboa, França Borges, às obras do novo mercado de Benfica em construção" (1970)Armando Serôdio, in Arquivo Municipal de Lisboa



A construção do Mercado de Benfica iniciou-se em 1970, tendo sido o último mercado municipal a ser inaugurado antes do 25 de Abril de 1974.

Abriu as suas portas ao público no dia 19 de Outubro de 1971, tendo em 2008 celebrado 37 anos de existência.



Fotografia de Alexandra Carvalho (2009)


"Visita do Presidente da Câmara Municipal de Lisboa, França Borges, às obras do novo mercado de Benfica em construção" (1970)Armando Serôdio, in Arquivo Municipal de Lisboa



Em termos arquitectónicos, este mercado é constituído por uma nave circular de vendas: ao centro o sector de peixe, no círculo seguinte o sector de peixe e marisco congelado, logo seguido pelo sector das frutas e legumes e, no círculo final, as padarias, talhos, cafés e lojas de bugigangas.

Na parte exterior do edifício, existem ainda uma série de floristas e as traseiras de diversos talhos; bem como as bancas de venda de roupa e uma infinidade de outros objectos.





Fotografias de Alexandra Carvalho (2009)


Cada uma das 3 entradas do Mercado de Benfica encontra-se decorada por uma estátua em relevo na parede lateral, simbolizando a diversidade de produtos do mercado (neste post faltou-me colocar a estátua da peixeira, devido à luminosidade da mesma não ser nada favorável).



Fotografia de Alexandra Carvalho (2009)


Fotografia de Alan Soric (2005)


Fotografia de Alexandra Carvalho (2009)


Fotografia de Alan Soric (2005)


O Mercado de Benfica possui mais de 150 postos de venda, constituindo um importante ponto de comércio.Em particular, aos sábados de manhã, este mercado atrai um número considerável de clientes, (vindos de paragens mais longínquas do que a simples freguesia) que inundam de trânsito as ruas limítrofes.




"Visita do presidente da Câmara Municipal de Lisboa, Santos e Castro, ao mercado de Benfica" (1971)
Fotógrafo desconhecido,
in Arquivo Municipal de Lisboa



Fotografia de Alexandra Carvalho (2009)


Fotografia de Alan Soric (2005)


Apesar de alguns dos seus vendedores ali se manterem desde a sua inauguração, o Mercado de Benfica vindo a modificar-se gradualmente, dando origem a um elevado contraste entre o comércio tradicional e a modernidade (de que são um exemplo vivo as últimas novidades existentes em termos de gadgets na loja de comerciantes indianos, ou as malas de senhora estilizadas - à la farse - nas bancas dos ciganos).

O Mercado de Benfica tem, por outro lado, e cada vez mais, vindo a transformar-se num foco de multiculturalidade e troca de hábitos culinários e culturais, o que revela a extrema riqueza da existência deste tipo de mercados em Lisboa.




Fotografia de Alexandra Carvalho (2009)


Um agradecimento muito especial à Dª. Margarida O. (minha vizinha), que trabalha no Mercado de Benfica praticamente desde a sua abertura ao público.

A (breve) partilha das suas memórias sobre a freguesia de Benfica esta manhã deixou-me mesmo cheia de curiosidade por descobrir mais!...






Problemas junto ao Mercado de Benfica, ler aqui.








8 comentários:

betinha disse...

Gostei muito destas imagens. De benfica só conheço o colombo e mal! Devo dizer que gostei particularmente da foto do carro do amolador, mas infelizmente fui "enganada" por um! Levou dez euros de me amolar a tesoura, que ficou torta e quase sem bico! Tive de ir ao sapateiro do centro comercial, que me arranjou a tesoura e me cobrou um euro! Ironico, não?!

Alexa disse...

Betinha: fico muito contente em ter ajudado a que conheças um pouco melhor esta freguesia! :)

Lamento o triste episódio que passaste com esse amolador... 10€ é de facto uma exorbitância.

Bjs e continuação de um bom dia de anos

Someone disse...

O Mercado de Benfica é, realmente, um ponto de referência de Benfica. Torna-se ponto de visita obrigatória aos sábados, único dia em que podemos, por motivos profissionais, fazer "compras", e, dado os longos anos de idas ali, já dos tempos de meus pais, desenvolveram-se ali laços de amizade, quase uma certa familiaridade. O único senão é o estacionamento na sua envolvência. Para quem efectua compras, carregado depois com o saco das "rodinhas" mais uns quantos atrelados, torna-se difícil percorrer grandes distâncias. E, deixar o carro em local acessível é muito complicado. Mas, não dispensa a visita semanal. Desde as verduras à carne, passando pelas frutas, os preços são, muitas das vezes, bastante mais acessíveis que nas grandes superfícies embora se deva usar de alguma cautela: é que aos sábados os preços são bastante inflaccionados. Mas, quem como eu, utiliza os hipermercados para trazer por atacado aqueles produtos que ficam armazenados em casa e, vai ao mercado para compra dos frescos, compensa. E, acima de tudo, é sempre o encontro com alguém, um tratamento diferente. Não cito nomes para não fazer publicidade mas, no mercado, sempre fui atendido com uma atenção que não se tem no trato impessoal de uma grande superfície. Por outro lado, dado a faixa etária da zona de Benfica, é também um dos pontos principais onde uma certa camada da população pode deslocar-se e comprar alguns bens essenciais. Aliás, uma das situações que me tem deixado apreensivo, últimamente, é o poder de compra de algumas pessoas de idade. E, é no mercado, que se ouvem as queixas, as lamúrias e, até, o desespero de quem, como eu vi, não ter mais que uns cêntimos para comprar algo para uma simples sopa.

Alexa disse...

Caro Francisco,

Concordo na íntegra consigo, o "nosso" Mercado de Benfica (ou "Praça", como carinhosamente, também, lhe chamamos ;) é um ponto de referência, um verdadeiro ícone sem direito a imitações nem iguais! :)

Achei muito carinhosa essa familiaridade que se vai estabelecendo com os vendedores do Mercado (no seu caso já bem mais longa do que a que eu tenho, imagino!).
Penso que é, precisamente, essa familiaridade que já não encontramos de modo algum nas grandes superfícies... e, por isso mesmo, apesar do que muita gente diz, o comércio tradicional ainda é o melhor sobrevivente desta crise ;)

Por outro lado, é também nesse comércio onde o contacto é mais directo e familiar, onde se vão estabelecendo laços que encontramos, na maioria dos casos, verdadeiros vendedores-confidentes...


Um abraço

Anónimo disse...

pois isso e tudo muito bonito o que as pessoas nao sabem e que existe neste mercado uma dose enorme de abuso de poder e corrupçao da presidente deste mercado e dos fiscais. em que sitio se pode admitir que os ciganos fazendo frente a presidente tem sempre tudo na mao, se hover na feira daquele mercado algum vendedor que nao seja cigano ja nao tem os mesmos direitos , nem pouco mais ou menos. ve-se ali situacoes que so vistas. os ciganos usao e abusao e presidente cala a boquinha e acabou. se se trata de um vendedor nao cigano é so leis atraz de leis. isto admite se ? é realmemte revoltante

Alexa disse...

Caro Anónimo: muito obrigada pelo seu comentário.
O objectivo do presente post era dar a conhecer e falar um pouco sobre a estrutura do Mercado de Benfica, uma referência da nossa freguesia.

Desconhecía os problemas que aqui relatou.

Penso que se fala dos mesmos de uma forma tão ressentida, será, talvez, porque trabalha também no Mercado.
Nesse caso, o que lhe sugiro é que apresente uma queixa formal sobre as situações que descreveu à presidência do Mercado de Benfica e à Câmara Municipal de Lisboa (uma vez que este é um mercado municipal e, em última instância, quem tem poderes sobre o mesmo é a Câmara).

Muito obrigada!

Teresa Henrique disse...

Decerto pode usar as minhas fotos da Vila Ana e da mata de Benfica no seu blog.
Parabéns pela qualidade da sua iniciativa!

Teresa

Alexa disse...

Teresa: muito obrigada pelas suas palavras e pela autorização.

Infelizmente, aparece-me uma mensagem de erro, dizendo que o seu blog foi removido... O que se passa?
Tenho as fotos que lhe pedi autorização para aqui publicar, mas gostava de colocar link para o seu testemunho.
Pode ser?

Obrigada!