quarta-feira, 4 de março de 2009

Palacete Rústico






Fotografia disponível in IPPAR




Fotografia disponível in IPPAR




No Nº 384 da Estrada de Benfica, na freguesia de São Domingos de Benfica, fica localizado um dos mais belos e misteriosos palacetes da ancestral Benfica.

Desconhecem-se quem foram os primeiros proprietários deste palacete rústico, datado de meados do século XIX, um dos último vestígios de
um momento na História em que algumas importantes famílias da capital procuraram estabelecer a sua residência em zonas da periferia, onde desfrutavam da calma e qualidade do campo.







Há alguns anos atrás, este palacete votado ao abandono serviu de residência a um desses grupos de adolescentes "ocupas" (os quais têm ainda muito que aprender com os movimentos semelhantes no estrangeiro, que chegam até a restaurar e a reabilitar os edifícios em que se instalam).

Para os retirar daquele espaço, apareceu a PSP e, mais tarde, foi instalado um letreiro gigantesco, anunciando que naquele espaço seria instalada brevemente uma qualquer delegação do Ministério da Cultura.






Os anos foram passando, e o palacete por ali continuava, votado ao abandono, sem que qualquer delegação ou sub-delegação cultural ali se instalasse.

Supostamente, este edifício encontrava-se, em 1994, em vias de classificação enquanto Património arquitectónico, abrangido na Zona Especial de Protecção (ZEP) do "Bairro Grandela; Quinta do Beau-Séjour / Quinta das Campainhas".






E por ali continuava em vias de degradação o palacete rústico do século XIX.
Até que, em meados do ano passado, surgiu numa das suas altaneiras janelas um anúncio de venda. Com a crise económico-social, até os proprietários de património arquitectónico, são obrigados a vendê-lo (quando nunca fizeram nada por ele)!...








4 comentários:

Anónimo disse...

Boa tarde! Sou estudande de arquitectura e estou a fazer um projecto para este palacete na estrada de benfica 384, como trabalho de final do curso. Vinha perguntar se não tem mais informação sobre este edifício, nomeadamente se sabe onde posso ter acesso a plantas e/ou alçados...
já procurei no Beau Sèjour e não há nada sobre ele a não ser uma foto do início do século XX.
A informação que está no seu blog é a mais completa até agora.

Obrigada pela sua atenção

Catarina Bio

Alexa disse...

Cara Catarina,

Antes de mais, as minhas desculpas por só agora lhe estar a responder.

Muito obrigada, também, pela sua visita ao nosso blog!

Infelizmente, a informação que aqui coloquei há algum tempo atrás deixou de estar actualizada, uma vez que o link que coloquei para o site do IPPAR onde constava alguma informação (escassa) sobre o palacete, deixou de funcionar. Fiz nova pesquisa no site do IPPAR, mas parece que o retiraram mesmo da sua listagem.

Penso que a Catarina poderá encontrar plantas e alçados deste palacete e de outros no Arquivo Municipal de Lisboa (arquivo intermédio) - http://arquivomunicipal.cm-lisboa.pt/
Deixo-lhe o link do site deles, mas, talvez, convenha mesmo deslocar-se às instalações físicas deste arquivo, para consultar com mais calma.

Disseram-me que no Museu da Cidade também existem algumas plantas de edifícios antigos de Lisboa.

E, talvez, lhe conviesse também consultar o Centro de Documentação da C.M.Lisboa (Campo Grande, 25), na vertente de reabilitação urbana ou de urbanismo.
Deixo-lhe o link do catálogo bibliográfico da Reabilitação Urbana (http://www.cm-lisboa.pt/archive/doc/catalogo_RU.pdf).

Espero poder ter sido de algum auxílio na sua pesquisa.
E deixo-lhe, desde já, o convite para, quando concluir o seu trabalho, partilhar aqui connosco, no "Retalhos de Bem-Fica", mais informações que venha a descobrir sobre este Palacete Rústico :)

Muito obrigada!

Um abraço

Anónimo disse...

Este palacete foi durante anos o laboratório da Comissão Reguladora dos Produtos Químicos e Farmacêuticos, até ao final dos anos 80 do século passado. Ali se faziam análises desde o sal de cozinha até aos medicamentos, e nada era importado ou exportado sem se comprovar a sua composição e propriedades. Quanto ás plantas, já que o organismo foi "destruído" pelo governo da altura, é procurar no Ministério das Finanças.

Anónimo disse...

Este edifício possuía lindos empedrados que foram fotografados quando o ministro Cadilhe resolveu vendê-lo, bem como escadarias nos jardins e uma bela fonte no centro do jardim sobranceiro à Est. de Benfica. Todo o palacete era revestido a azulejos de que se encontram restos na rampa de acesso. Tinha nas traseiras e a longo do tardoz um jardim muito belo com uma escadaria em pedra. os acessos aos andares superiores eram feitos por escadas em madeira com corrimões de ferro trabalhado, os pavimentos eram de madeira chamada "casquinha". Possuía escadas em metal para saída rápida para os jardins das traseiras em caso de perigo, o laboratório que pertenceu em tempos ao organismo mais rico da Europa, possuía condições de segurança, elaboradas por bombeiros, quando ainda não se falava em Higiene e Segurança.