segunda-feira, 14 de junho de 2010

DECEPÇÃO - UM MOMENTO DE REFLEXÃO




"Um grupo de marchantes. Aqui ainda residia a alegria e a esperança de uma boa classificação."
Fotografia de Clube Futebol Benfica



"Recebi às 12,30 horas, um telefonema de um futebolbenfiquista que vive no Canadá, João Mouzinho, a felicitar-me pela excelente Marcha que apresentámos na Avenida. Emocionado e de quem vive há distância o acontecimento, lá me foi dizendo que gostou imenso e que louvava o trabalho realizado. Nessa altura já sabia a classificação da nossa Marcha, mas vendo o entusiasmo do Mousinho não tive coragem de revelar. Por cobardia ? Não! Não quis esmorecer o entusiasmo de um homem ausente, que sentiu e viveu a alegria de ver algo da sua cultura e com orgulho se manifestou.

Ora, este entusiasmo do 'Mousas' como os amigos o tratam, leva-me a um comentário acerca da frustração de momento e aquilo que sempre pensei em termos de marchas populares.

Eu sei que a vida é feita de mutações, mas as marchas populares, como o regulamento determina é uma recriação ao passado, por isso não aprecio, nunca apreciei e obviamente sempre discordei desta forma de organizar as festas da cidade, sobretudo desde o momento que se imprimiu uma componente competitiva que naturalmente tem descaracterizado as marchas. E há uma situação que para mim me parece incompreensível, isto é, tratando-se de uma festa, de uma actividade cultural, porque razão não se procura outro modelo que retire exageros de apreciação, os quais causam desavenças entre os bairros, entre as pessoas e são contrários aos efeitos que se procura atingir quando se organiza uma festa. Também, por outro lado, é um facto que um grupo de pessoas, com formação diferente, bastante heterogénea, compreenda no seu todo os vários factores determinantes para a classificação. Quero eu com isto dizer que existindo esta verdade insofismável a mesma devia servir como factor de integração social e não como um monte de frustrações ou como arremesso contra os outros com os mesmos problemas e com a mesma dedicação naquilo que empenhadamente fazem ao longo dos quatro meses de trabalho na preparação da festa (?), basta ler os blogues para compreender o que digo ou quero dizer com estas minhas palavras.

Eu acompanho os marchantes da Marcha que ajudei a construir. Também me encontro frustrado com a classificação. Lembro-me das pessoas que apoiaram a Marcha com entusiasmo ao longo da Avenida, alguns é certo por fazerem alguma confusão com o SLB, mas outros muitos que gritando pela marcha de Benfica davam vivas ao FÓFÓ; lembro-me das pessoas que nos apoiaram nas ruas de Benfica e na Exibição na Junta; lembro-me do apoio recebido da Alexandra através do BLOGUE "RETALHOS DE BEM FICA"; lembro-me do apoio da Junta de Freguesia e lembro-me ainda do apoio dos anónimos e da população do Bairro que, naturalmente, gostaria de ver o seu Bairro melhor classificado.

No dia em que estive no 'Portugal no Coração', residia em mim uma esperança enorme numa boa classificação, não obstante isso, afirmei que classificar Marchas era aleatório, ou seja, dependia muito de várias circunstâncias nem sempre bem definidas. Não me enganei. A marcha de Benfica não merecia esta classificação que lhe atribuiram. Eu estive lá. Vi o entusiasmo com que fomos recebidos e saudados no Pavilhão Atlântico. Vi e vivi o desfile, com entusiasmo, com alegria, na Avenida. Não sei se alguma Marcha foi tão viva, tão alegre na Avenida como a nossa. Para quê? Para meia dúzia de eruditos classificarem as marchas sem conhecerem a verdadeira razão da existência das mesmas e, quase de certeza, sem alguma vez terem visto um desfile ou uma exibição em tempo algum.

Telefonaram-me e assisti à revolta, ao ajuntamento que, em sinal de protesto, os marchantes se reuniram nas nossas instalações.Tentei apaziguar as mágoas, a dor intensa que sentiam, fiz os possíveis para não fazerem comparações com os outros, mas a revolta, a frustação, abalou o coração daquela gente.

Isto não é festa.

Todos sabem que estou com eles. Eu sei que fomos injustiçados. BENFICA apresentou uma verdadeira Marcha, que representou a tradição do Bairro, como determina o regulamento. Se voltarmos às Marchas e se de mim depender vou borrifar-me para o Regulamento e apresentar uma Marcha de Fidalgos, de gente fina, de gente do alto. Que se lixe a tradição.


Domingos Estanislau"





16 comentários:

João disse...

pois eu vi e ouvi o desfile na tv. deve ter sido a marcha mais desafinada do desfile. não sabem cantar. a coreografia foi má, o desempenho dos marchantes foi mau. estavam à espera de quê? do 1º lugar?

T.Mike (Miguel Gomes Coelho) disse...

João,
É capaz de ter razão !
A "nossa" marcha é capaz de sofrer desses pecados todos; é a sua opinião e eu respeito-a.
A minha e a de outros pode não ser igual mas deve também ser respeitada.
É uma questão de bom senso e cultura.
De qualquer modo, e já que parece ser um entendido na matéria das marchas, coreografia, design e música, (caso contrário não faria uma tão crítica apreciação), julgo que estará disponível para, desde já, contactar o "Fófó" e encetar o trabalho necessário para que, para o ano que vem, a "nossa" marcha tenha os meios necessários - TODOS os meios necessários - para nos poder representar devidamente, e a seu gosto - deverá concerteza ser vencedora ou ter um lugar no "podium" - .
Certamente, quererá erradicar do processo os "incompetentes" e os entusiastas que este ano tão "péssimo" trabalho (sim, trabalho) apresentaram.
A Freguesia irá agradecer-lhe sentidamente.
Esperamos por si e pelo seu inestimável contributo e gracioso empenho.
Saudações.

Alexa disse...

Miguel:

Dou-lhe toda a razão, caro Amigo...
Diferentes opiniões devem saber respeitar-se (e é esse, basicamente, o cerne da correcção nas relações humanas!).

O que é mesmo lamentável é que, neste nosso belo país à beira mar plantado, haja sempre uma imensa maioria que esteja obcecadamente preparada para "ser do contra", para dizer mal apenas por dizer, para fazer críticas que de construtivo nada têm... Em particular quando não trazem nada de novo, nem sequer alternativas ou propostas de ajuda, acabando mesmo por ser ofensivas/incorrectas para todos aqueles que fizeram alguma coisa e participaram nos acontecimentos, neste caso na nossa Marcha de Benfica.
Mas é sempre mais fácil ser-se "crítico de sofá" do que participar e ajudar!...

Ontem à tarde, quando o Lau me ligou, depois de ter enviado este texto para o nosso blog, apesar da desilusão na sua voz por termos ficado classificados em último lugar, relembrei-me com emoção daqueles momentos de alegria genuína na noite de 10 de Junho, quando a Marcha desfilou em Benfica:
- do povo que se juntou nas ruas, entusiasticamente, para ver passar a sua Marcha;
- de todos aqueles que, voluntariamente, decidiram participar activamente na Marcha, ensaiando durante meses a fio e dando o seu melhor por aquela que é a sua freguesia;
- do reconhecido coreógrafo que este ano foi contratado, apresentando com profissionalismo o seu trabalho;
- de todos aqueles que, no Clube Futebol Benfica, anonimamente participaram na preparação de mais uma Marcha de Benfica.

A riqueza de um povo, a riqueza de cada ser, vêem-se pela forma como cada um, na medida daquilo que lhe é possível, está disposto a ajudar/colaborar/participar.
Só por isso, pessoalmente (e apesar de não ser nenhuma perita em Marchas Populares), a nossa Marcha de Benfica já foi vencedora! :)

Mas penso que é como o Lau dizia no seu texto, temos que tirar ilacções de tudo isto e aprender com os erros e até mesmo com as críticas que nos fazem (pelo menos, quando são críticas construtivas e que primam pela educação).

Abraço amigo,
Alexandra.

Domingos Estanislau disse...

João,
Não leu certamente com a devida atenção,o meu post. Eu fiz uma análise bastante exaustiva, inclusivamente sob o aspecto social. De certa forma expliquei também o que é uma Marcha, o Regulamento para efeitos de classificação, o trabalho, enfim ... como digo fui exaustivo na minha apreciação. Não disse que mereciamos o 1º lugar. Tenho consciência suficiente para perceber que há Marchas com outras potencialidades diferentes da nossa, por várias razões que não vou agora escalpelizar aqui, como é óbvio. Os tempos são outros.
Todavia, apesar das nossas dificuldades penso que apresentámos uma Marcha, uma verdadeira Marcha, genuinamente uma Marcha, isto é, não descaracterizámos aquilo a que chamamos uma Marcha Popular. Poderiamos utilizar outros argumentos, outros efeitos, mas sairiamos certamente da órbita da concepção do que é uma Marcha Popular. Nós, temos lutado, não hoje, mas desde há muito para que a tradição se mantenha e não se dilua nos efeitos especiais, que pouco tem a ver com esta festa, o efeito Marcha Popular.
O T.Mike (Miguel Coelho Gomes)tem razão naquilo que diz e portanto eu faço minhas as palavras dele. E já agora aproveito para dizer que há muita gente que tal como nós pensa que foi uma injustiça a classificação com que nos "presentearam".
Para terminar não posso deixar de perguntar ao João que Marcha é que ele viu?
PS-Não identifico nenhum dos intervenientes

Anónimo disse...

Depois de colocar o meu post, verifiquei que a Alexa tinha colocado também um comentário.
Quero agradecer as palavras encorajadoras e que dignificam também a sua qualidade humana, já de todos conhecida, mas que nunca é de mais enaltecer.
Obrigada Alexa

natalia disse...

Existemvalores que merecem reflexão.
Existem atitudes que denunciam o sistema.
Parabéns FÓFÓ, parabens marchantes de Benfica que dignificaram o sentido popular na verdadeira acepção da palavra.

Carlos Martins
Natalia Pereira

Alexa disse...

Amigo Lau: muito obrigada pelas suas palavras!
Abraço forte

João disse...

Para que não hajam quaisquer dúvidas, eu não sou o João do 1º comentário mas sim aquele João que - volta não volta - manda para aqui umas "bocas". Com isto não quero tirar qualquer razão ao outro João, quero apenas deixar claro que não sou eu.

Para todos os efeitos, eu acho que o Lau (assim como os marchantes e todos nós) pode ter toda a razão quando se acha defraudado porque, afinal de contas, o prémio por tentar manter alguma tradição e respeitar o espírito e a letra do regulamento, é ficar em último lugar.

Só vejo um caminho possível para reverter este estado de coisas. É juntar argumentos e esclarecer junto de quem de direito da CML sobre afinal o que deve ser, de facto, uma marcha de um bairro para que possa ter uma classificação consentânea com o seu desempenho global.

Para o ano será melhor. Força, Lau !

T.Mike (Miguel Gomes Coelho) disse...

Pelos vistos há Joões e Joões...
Olá, João !(O primeiro)
Olá, João !(O segundo )
Com jeitinho ainda aparece o D. João III...

Alexa disse...

João "que - volta não volta - manda para aqui umas 'bocas'":

Seja bem aparecido, caro Amigo, e que bons olhos o vejam... pois já tínhamos saudades das suas "bocas" cultas e civilizadas :)

Parece-me uma óptima (e importante) sugestão a que avançou, relativamente ao esclarecimento junto da CML sobre os critérios relativos às Marchas Populares. Penso que se essa questão for esclarecida atempadamente, e com conhecimento de todas as freguesias, talvez, as coisas possam ser mais correctas.

Para o ano, se todos ajudarmos (como algumas pessoas já se prontificaram a fazer), VAI ser melhor!

Alexa disse...

Miguel: vai na volta, e tem razão... ainda nos calha o D. João III (o Pio) na rifa ;)

Alexa disse...

Natália Pereira e Carlos Martins:

As minhas desculpas, porque me esqueci de vos dar as boas vindas aqui a "Retalhos de Bem-Fica"...
Sejam muito bem vindos e obrigada pelo vosso comentário :)

PJMDS disse...

Olá a Todos!

Apesar de o João (o 1ª) ter apresentado a sua análise de uma forma bastante crua, se todos ponderarmos seriamente sobre o assunto, ele não deixa de ter a alguma razão.

Eu também assisti à marcha pela TV -já que não pude estar presente na Avenida devido a nesse dia estar ausente de Lisboa, esperando ansiosamente pela exibição da "nossa" Marcha e, confesso, fiquei desagradavelmente surpreendido com a nossa prestação, começando na gritante desafinação dos marchantes, passando pela "pobreza franciscana" do vestuário e respectivos arcos e acabando numa coreografia fraca, que a meu ver, não se coaduna com a grandeza e tradição que a nossa histórica Marcha carrega.

Eu fui marchante por Benfica no último ano em que ganhámos (1989) e 21 anos volvidos, constato com muita tristeza que nas últimas dusa décadas, em vez de evoluír, estamos a regredir a olhos vistos!

Li igualmente o artigo do Sr. Domingos Estanislau e, apesar de estar de acordo em parte com o que foi escrito, por outro lado não concordo em absoluto com algumas das considerações apontadas pelo Sr. Estanislau como sendo as principais para o desonroso e último lugar alcançado pela Marcha de Benfica.

O Sr. Estanislau vai-me desculpar, mas algumas das suas afirmações no dito artigo, pareceram-me mais "desculpas esfarrapadas" que outra coisa! Tal como em tudo na vida, também a Marcha de Benfica terá que evoluír tanto criativa como qualitativamente. Eu respeito as tradições mas acho que também estas têm que se adaptar aos tempos em certos aspectos. É que se as tradições fossem intocáveis e impedidas de evoluír, actualmente, ainda estávamos todos a matar-nos uns aos outros num qualquer Circo Máximo.

Entre outras razões e em 1º lugar, quer-me a mim parecer que a temática dos "Saloios" e da "Benfica Rural" está totalmente gasta! Benfica é uma freguesia com uma história riquíssima, o que por si só, daria para desenvolver temas bastantes interessantes (e sobretudo mais actuais) que poderiam ser explorados com bastante sucesso na Marcha Popular da freguesia.

Em 2º lugar, não é de todo verdade que as marchas populares não sejam uma competição, tal como o Sr. Estanislau afirmou no seu artigo. Com um pouco de pesquisa, constatar-se-á que a essência original das marchas, além da sua componente lúdica, era exactamente isso: uma competição entre os bairros mais emblemáticos da Lisboa!

No entanto, todos sabemos que as Marchas hoje em dia envolvem muitos interesses e têm alguma política misturada, mas também é verdade que de uma maneira mais ou menos vincada, tem sido sempre assim ao longos dos tempos.

E também sabemos, que as Madrinhas e Padrinhos têm algum "peso" na votação final. É dito e sabido que, por exemplo, uma Cinha Jardim que não faz nada de útil na vida nem tem talento para o que quer que seja, mova mais influências que uma Ana Bacalhau dos Deolinda que são inegavelmente um dos grandes talentos actuais a nível nacional e com visibilidade além-fronteiras.

Mas isso é infelizmente o espelho da Nação em todos estratos da nossa sociedade. Ou seja, dá-se mais valor a quem aparece constantemente nos tablóides (por razões totalmente inócuas), do que a quem realmente tem talento ou faz qualquer coisa em prol da sociedade.

Agora o que é preciso, é reflectir de uma maneira realista, ponderada e séria sobre o que correu mal este ano com a Marcha de Benfica, corrigir o que esteve menos bem, apresentar novas temáticas e de certeza que para a próxima, com criatividade e com as pessoas certas nos lugares certos, Benfica alcançará certamente um lugar condizente com a sua história.

...A freguesia e as suas gentes merecem-no!!!


Cumprimentos a Todos,
PJMDS

Anónimo disse...

Totalmente de acordo com a maioria dos pontos enaltecidos pelo utilizador pjmds. É preciso acabar com as choradeiras as desculpas do coitadinho fazer um introspeção sobre o q n funcionou e fazer melhor no proximo ano.

domingos estanislau disse...

Amigo PJMDS não vou comentar o seu artigo porque cada um vê as coisas à sua maneira, todavia, há um ou outro aspecto com o qual concordo. Contudo, quero dizer-lhe o seguinte e faço-o aqui publicamente. O esforço financeiro do Clube nesta Marcha foi enorme ultrapassou largamenteo subsdidio da CML que são 30.000 mil euros.
O Clube Futebol Benfica gastou cerca de 28,000 euros. E para aue não hajam dúvidas de quem está por fora aqui vão os valores: Ensasiador 5.000 euros; figurinista 15.000 euros, Arcos 9.300 Euros, Musicos 8.000 euros, estas são as despesas significativas. Nunca fizemos um esforço tão grande como este ano. Contratámos um coreografo profissional e um estilista também profissional, uma firma para fazer os arcos e tudo isto na esperança que o nosso regresso seria presenteado com uma boa classificação, não foi efectivamente. Há outros factores aleatórios, mas não vou discutir isso aqui, naturalmente.
Mas como disse que tem que haver evolução, então rasgue-se o regulamento que determina as classificações e então actualize-se com os tempos actuais. O regulamento diz que os temas têm que respeitar as tradições do bairro, por isso é que eu digo se alguma vez mais voltar às Marchas (é uma hipótese que deixo em aberto esta dúvida, sim ou não à Marcha) estou-me borrifando para o regulamento.
Para mim o assunto está encerrado e voltarei a ele, em principio, quando receber os relatórios do juri.
Que tudo isto é muito complexo é.
Um abraço para todfos.

domingos estanislau disse...

Quero rectificar um lapso que houve no meu post anterior onde digo 28.000 euros deve ler-se 38.000 Euros.